Categorias
SEO

Checklist de SEO Técnico para 2020

A otimização de sites para os buscadores (SEO) envolve basicamente três aspectos: Conteúdo da página/site (SEO ONPAGE), referências e backlinks para a página/site (SEO OFFPAGE) e a parte do funcionamento adequado do site alinhado com as necessidade dos buscadores (SEO TÉCNICO). E é sobre esse último que falarei neste artigo, para funcionar como um checklist útil para você.

Só porque seu site “abre” não significa que eles está bom. Por hora esquecido ou subestimado, o SEO Técnico vem ganhando cada vez mais importância com a grande evolução do Google e maiores exigências dos usuários.

Eu sou Especialista em SEO e trabalho com consultoria em otimização de sites para o Google. Se você precisar de uma auditoria de SEO técnico em seu site, bem como análise de conteúdo e planejamento para crescimento do tráfego orgânico, entre em contato comigo.

O que é SEO técnico?

Quando abordamos o SEO de forma geral, podemos listar de forma simples os seus objetivos:

  • Garantir que os mecanismos de pesquisa e o Google possam acessar e indexar seu site sem problemas
  • Ter conteúdo de alta qualidade que corresponda à intenção do pesquisador e que ele possa usar facilmente
  • Fornecer aos rastreadores dos mecanismos de pesquisa os sinais certos para entender a estrutura do seu site
  • Ajudar os rastreadores dos mecanismos de pesquisa a entender o significado (contexto) e finalidade do seu conteúdo.
  • Fornecer aos algoritmos dos mecanismos de pesquisa razões para confiar no seu site e classificá-lo mais alto que outros sites.

Na prática separamos o SEO em três partes: ONPAGE, OFF PAGE e Técnico:

Como a imagem mostra, estas três partes do SEO se sobrepõe, ou seja, há elementos técnicos que fazem parte do conteúdo e vice e versa. SEO é algo dinâmico e sistêmico.

Um conteúdo excelente mas tecnicamente mau apresentado, tende a ser ruim.

SEO técnico refere-se a otimizações de sites e servidores que ajudam as o Google a rastrear e indexar seu site com mais eficiência. Um site bem rastreado e indexado ajuda o Google a compreender o seu conteúdo e assim apresentá-lo melhor nos resultados de pesquisa.

Com o SEO técnico, você pode ajudar os mecanismos de pesquisa a acessar, rastrear, interpretar e indexar seu site sem problemas.

É chamado de “técnico” porque não tem nada a ver com o conteúdo real do site ou com a promoção do site. O principal objetivo do SEO técnico é otimizar a infraestrutura de um site.

Para entender qual é o verdadeiro significado do SEO técnico, vamos começar com uma terminologia básica.

Checklist de verificação de SEO técnico

O Google e demais mecanismos de pesquisa dão tratamento preferencial nos resultados de pesquisa aos sites que exibem certas características técnicas – por exemplo, uma conexão segura, um design responsivo ou um tempo de carregamento rápido – e o SEO técnico é o trabalho que você precisa fazer para garantir que seu site o faça.

Abaixo, você encontrará uma lista de etapas importantes que você pode seguir para garantir que seu SEO técnico esteja correto. Seguindo essas diretrizes, você pode ajudar a garantir que a segurança e a estrutura do seu site atendam às expectativas dos algoritmos dos mecanismos de pesquisa e sejam recompensadas nos resultados da pesquisa.

SSL e HTTPS

A última tendência na Internet é a segurança. HTTPS é um sinal de classificação conhecido e uma maneira adicional de estabelecer confiança com seus usuários. HTTPS é uma prioridade para o Google e os outros mecanismos de pesquisa.

Quando você instala um SSL em seu servidor, seu site pode ser acessado usando https e não http. Isso indica que qualquer informação transferida entre o site e o servidor (como nomes de usuário, senhas, dados pessoais etc.) é criptografada.

No passado, o SSL era importante para sites de comércio eletrônico, mas atualmente qualquer site na Internet deve ter um SSL instalado.

Se você não tiver o SSL instalado, a primeira coisa a fazer é entrar em contato com o seu provedor de hospedagem e solicitar que ele ative o SSL na sua conta. Você precisará seguir um procedimento de migração para ativar o SSL no seu site sem perder sua classificação.

Adicionar um SSL é semelhante à migração para um novo domínio, portanto, você deverá seguir o procedimento com cuidado.

Se o seu site faz muitas solicitações HTTP (o que, em um mundo ideal, não deveria), você pode acelerar o carregamento da página usando HTTP/2, que envia as solicitações simultaneamente e não uma após a outra. Você pode verificar se o servidor suporta HTTP/2 e, se não, conversar com o desenvolvedor do site sobre como alterar a configuração.

Status da página 2xx, 3xx, 4xx, 5xx

Veja os resultados do seu rastreamento e você verá um código de status para cada URL (páginas, imagens, arquivos css, arquivos javascript etc.):

  • 200 significa sucesso!
  • 301 é um redirecionamento permanente. Deve haver o menor número possível de links internos com 301, portanto, examine o html do seu site e substitua os URLs que estão sendo redirecionados pelos URLs de destino dos redirecionamentos.
  • 302 é um redirecionamento temporário e você deve usar um 301, se necessário.
  • Qualquer código 400, 410 etc significa que o arquivo não foi encontrado. Ter uma porcentagem muito pequena deles não é um grande problema (e eles serão removidos do índice do Google de qualquer maneira), mas podem ser arquivos que você deseja indexar e também pode indicar que o acesso a eles está sendo bloqueado ou que o URL contém, por exemplo, caracteres acentuados ou outros caracteres não padrão.
  • Deve haver 0 URLs com um status 5xx !

Páginas órfãs

Uma página órfã é aquela que não está vinculada a nenhuma outra página do site e pode ocorrer quando um site é muito grande, está on-line há vários anos ou foi reestruturado. Eles são uma oportunidade desperdiçada para o seu SEO! 

Você pode encontrá-los manualmente usando uma planilha para fazer referência cruzada de uma lista de páginas rastreadas pelo site com uma lista de páginas exportadas do Search Console (para obter as páginas órfãs que o Google indexou) ou usar um rastreador como o ScreamingFrog ou outros. Os proprietários de sites geralmente ficam surpresos com a quantidade de coisas que podem estar à espreita nos recônditos escuros de seus sites!

Robots.txt

Deve haver um arquivo robots.txt na raiz do site, por exemplo, https://gustavors.me/robots.txt. Um arquivo de robots.txt serve para dizer para os rastreadores (do Google e muitos outros) onde “entrar” e onde “não entrar” em seu site.

Geralmente, ele contém instruções que descrevem quais partes de um site são acessíveis aos robôs de mecanismo de pesquisa e quais partes não são e restrições excessivamente amplas podem levar a partes de um site não serem indexadas.

Ele também pode conter um link para o sitemap do site, assim:

User-agent: *
Disallow: /wp-admin/
Allow: /wp-admin/admin-ajax.php

Sitemap: https://gustavors.me/sitemap_index.xml

Assim como em uma loja física onde existem salas administrativas ou depósitos que não são uteis para os clientes, um site tem páginas que não tem conteúdo relevante ou tecnicamente adequado. Logo, é melhor pedir para o rastreador não acessá-los.

Sitemap XML

Você precisa ter um mapa do site contendo uma lista completa de suas páginas e ele precisa estar atualizado. Alguns plugins e softwares de rastreamento geram um mapa do site, mas isso pode ser feito manualmente em caos específicos (e raros).

Aqui um exemplo: https://gustavors.me/sitemap_index.xml

Um sitemap.xml errado tende a atrapalhar o Google a rastrear o seu site.

Compatibilidade com celulares

Este é um assunto muito amplo e cheio de detalhes! Saiba que, para o Google, o seu site é analisado primeiro para celulares e depois para desktops. Um site com páginas ruins em celulares vai gerar grandes problemas ou ao menos perda de oportunidades.

Como o índice do Google é móvel primeiro, você precisa verificar seu site regularmente para garantir que alterações recentes não o tornem ruim para o mobile. Teste como o bot do Google para celular vê seu site.

Velocidade da página: TTFB

A velocidade da página é super importante! Existem vários fatores que afetam isso e veremos mais neste artigo, mas um dos mais básicos é o TTFB (Time To First Bite) ou, em outras palavras, o intervalo de tempo entre quando você clica em um link e no momento em que o primeiro byte de dados é recebido pelo seu navegador. 

Você pode verificá-lo nas  Ferramentas do desenvolvedor do Page Speed ​​InsightsPingdom ou Chrome e, idealmente (na opinião do Google), deve ser inferior a 200 milissegundos.

Se você tem um site inchado em um servidor lento, pode ser dez vezes mais fácil. Se você valoriza o seu negócio, obtenha uma boa hospedagem, e agora há um número crescente de serviços de hospedagem altamente otimizados para CMSs como o WordPress.

Em geral, o que você pode fazer para acelerar o carregamento do site é o seguinte:

  • Atualize seu servidor para usar o sistema operacional de 64 bits
  • Atualize para o PHP 7.2. Isto dará grandes melhorias na velocidade em comparação com o PHP 5.2.
  • Otimize o tamanho das suas imagens. 
  • Minimize o uso de plugins
  • Atualize o WordPress e todos os plugins para as versões mais recentes
  • Não use temas pré-fabricados pesados. Eles adicionam muito código que não é necessário, investem melhor em um tema personalizado.
  • Otimize e reduza seus arquivos CSS e JS
  • Usando um Plug-in de Cache para Servir Páginas em Cache aos Usuários
  • Evite adicionar muitos scripts no <head> do seu site
  • Usar carregamento assíncrono de javascript

Considere ativar o AMP

O AMP é um projeto apoiado pelo Google que visa acelerar a entrega de conteúdo em dispositivos móveis através do uso de código especial conhecido como HTML AMP.

As versões AMP de suas páginas da Web são carregadas extremamente rapidamente em dispositivos móveis. Eles fazem isso simplificando seu conteúdo e código, deixando texto, imagens e vídeo intactos, mas desativando scripts, comentários e formulários.

Por serem carregadas com tanta rapidez, as versões AMP das páginas têm muito mais probabilidade de serem lidas e compartilhadas pelos usuários, aumentando o tempo de permanência e o número de backlinks apontando para o seu conteúdo – tudo de bom do ponto de vista do SEO. 

Além disso, o Google às vezes destaca as páginas AMP em carrosséis de destaque nos resultados de pesquisa, oferecendo um importante aumento na pesquisa.

Problemas de conteúdo duplicado

O conteúdo duplicado pode ser confuso para os usuários (e de fato os algoritmos dos mecanismos de pesquisa); também pode ser usado para tentar manipular as classificações de pesquisa ou obter mais tráfego.

Como resultado, os mecanismos de pesquisa não gostam disso, e o Google e o Bing aconselham os webmasters a corrigir quaisquer problemas de conteúdo duplicado que encontrarem.

Como corrigir problemas de conteúdo duplicado:

  • Impedindo que o CMS publique várias versões de uma página ou postagem (por exemplo, desabilitando os IDs de Sessão onde eles não são vitais para a funcionalidade do seu site e se livrando das versões para impressão do conteúdo).
  • Usando o elemento de link canônico para que os mecanismos de pesquisa saibam onde está a versão ‘principal’ do seu conteúdo.

Adicione marcação de dados estruturada ao seu site

A marcação de dados estruturados é o código que você adiciona ao seu site para ajudar os mecanismos de pesquisa a entender melhor o conteúdo nele. Esses dados podem ajudar os mecanismos de pesquisa a indexar seu site com mais eficiência e fornecer resultados mais relevantes.

Além disso, os dados estruturados aprimoram os resultados da pesquisa com a adição de ‘rich snippets’ – por exemplo, você pode usar dados estruturados para adicionar classificações de estrelas a críticas; preços para produtos; ou informações do revisor (exemplo abaixo).

Como são mais atraentes visualmente e destacam informações imediatamente úteis para os pesquisadores, esses resultados aprimorados podem melhorar sua CTR (taxa de cliques) e gerar tráfego adicional para o seu site. Como sites com resultados com CTRs mais altas geralmente são considerados para receber tratamento preferencial nos mecanismos de pesquisa, vale a pena fazer um esforço para adicionar dados estruturados ao seu site.

Canonical e Hreflang

O atributo hreflang é mais importante se você tiver versões de idiomas diferentes da mesma página, mas deverá colocá-las de qualquer maneira, juntamente com as tags canônicas, pois o Google as procura mesmo em páginas monolíngues.

Consulte a seção do código-fonte da sua página: a tag canônica deve conter o URL da página em que está e os atributos hreflang devem apontar para o URL de cada uma das versões de idioma, incluindo uma para o idioma da página atual

Sites multilíngues

Se você tiver conteúdo em seu site em mais de um idioma, precisará usar o atributo hreflang para fornecer ao Google mais informações sobre a estrutura e o conteúdo do site.

Isso os ajudará a fornecer o conteúdo certo aos usuários (ou seja, para mostrar o conteúdo do povo sueco em sueco) e também ajudará a otimizar seu SEO, evitando conteúdo duplicado e problemas de indexação.

Título, Descrição, H1

Você pode verificá-las rastreando as páginas do site. 

Títulos

Cada página deve ter um título exclusivo. Ele deve ter entre 15 e 40 caracteres, evitar palavras como “impressionante”, “insano” e “inacreditável”, deve conter as palavras-chave e é a primeira coisa que as pessoas verão nos resultados da pesquisa, para que ele precise responder com precisão ao usuário consulta de pesquisa.

Meta description

As páginas de descrição que você deseja classificar devem ter uma meta descrição única e envolvente. A descrição não é, por si só, um fator de classificação, mas se for atraente e tiver um plano de ação, você obterá uma taxa de cliques mais alta, pois é frequentemente usada pelo Google como o texto descritivo que aparece nas páginas de resultados de pesquisa.

H1

A tag <h1> é o principal título do cabeçalho do conteúdo e deve ser exclusiva em todas as páginas. Deve ser a primeira coisa que o usuário vê na página e deve garantir ao usuário que esta página fornecerá as informações necessárias.

Imagens: tamanho, alt, título e figura

  • Nenhuma imagem de página padrão deve ter mais de 100k no máximo ou reduzirá a velocidade de carregamento da página, especialmente em dispositivos móveis. Veja especialmente as imagens enviadas por colaboradores; Eu vi imagens de 5 megabytes nas páginas do blog!
  • Verifique se eles têm um nome útil, sem caracteres especiais (e sem o status “404 arquivo não encontrado”!)
  • As imagens devem ter um valor para o atributo “alt” e devem descrever a imagem.
  • O atributo title, embora não seja essencial, também é uma oportunidade.
  • Use as tags semânticas HTML5 <figure> em torno de suas imagens e adicione um </figure>.

Arquitetura ou estrutura do site

Quando falamos sobre “estrutura do site”, falamos sobre como suas páginas e conteúdo são organizados – mas isso afeta muitas áreas! Muitas vezes, a estrutura do site é confundida com a “profundidade do clique”, que é quantos cliques são necessários na página inicial para chegar a uma determinada página ou “estrutura do URL”. Mas essas são apenas partes individuais.

Todo o corpo da otimização da estrutura do site contém:

  • Links internos
  • Taxonomia (categorias e tags)
  • Profundidade do clique
  • Estrutura de URL

O objetivo é otimizar esses quatro fatores de forma que eles indiquem ao Google e aos usuários quais são as páginas mais importantes, como estão relacionadas e em que contexto.

Conclusão sobre SEO Técnico

O SEO técnico consiste em várias verificações e configurações que você precisa otimizar para ajudar os mecanismos de pesquisa a rastrear e indexar seu site sem problemas.

Na maioria dos casos, depois de acertar o seu SEO técnico, você não precisará lidar com isso novamente, além de realizar auditorias periódicas de SEO.

A palavra técnico implica que você precisa ter algum conhecimento técnico para executar algumas das tarefas (como otimização da velocidade da página, adição de dados estruturados etc.), mas é necessário fazer isso, caso contrário, seu site não alcançará todo o seu potencial.

Por Gustavo Rodrigues da Silva

É especialista em SEO e Ads. Trabalha a mais de 10 anos com comunicação, design e marketing. Oferece consultoria à diversas empresas e instituições com o objetivo de melhorar seus sites, presença online, entendendo a intenção e comportamento de buscas na internet e como criar os melhores conteúdos e resultados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *