Categorias
SEO

Como recuperar seu site de uma atualização de algoritmo do Google

Se o seu site perdeu posições para palavras-chave página importantes nos últimos tempos, isso é um sinal de que ele precisa de uma revisão e otimização de SEO. Podem ser critérios mais técnicos, mas eu tenho acompanhado a discussão a respeito dos critérios ligados a qualidade do site e seu conteúdo.

Eu sou especialista em SEO e trabalho com consultoria para sites de empresas, noticias e lojas virtuais.
Se precisar de uma avaliação do seu site e um plano de posicionamento, entre em contato comigo.

Neste artigos eu explico melhor sobre os algoritmos do Google, os critérios de E-A-T e sites YMYL. Como a mudança nestes critérios podem ter afetado o seu site. E dou várias recomendações do que fazer para melhorar a qualidade do site e recuperar posições.

Atualizações do algoritmo do Google

O motor do Google é um conjunto de algoritmos que trabalha em conjunto para fazer basicamente três coisas:

  • Decifrar que as pessoas estão buscando, o que querem.
  • Entender sobre o que uma página na internet oferece.
  • Apresentar na página de resultados da pesquisa (SERP) os resultados que estejam de acordo ao que o usuário quer.

Ao longo dos anos o Google anunciou vários novos algorítimos e atualizações nos em ação. Desde 2018 ele mudou a política, anunciando de forma discreta atualizações sem entrar em detalhes, afirmando que o Google passa por centenas de pequenas atualizações por ano.

Penalização algoritmica

A palavra penalização não é a mais adequada neste caso. Ela se aplica mais punições efetivas à práticas nocivas de alguns sites. Quando o algoritmo atualiza e o seu site que estava na posição 3 passa para a posição 15 para uma palavra chave, significa que o Google mudou os critérios para determinar a qualidade do seu site para aquela pesquisa.

O conhecimento dos critérios de qualidade, guidelines, e “dicas” que o Google informa, são a base para podermos avaliar e otimizar o site para retomar e subir nos resultados de pesquisa.

O que é E-A-T

A sigla EAT vem de Expertise, Authoritativeness e Trustworthines. Algo como Especialização, Autoridade e Confiabilidade. Todos esses termos podem ser resumidos em uma única pergunta: a pessoa que está escrevendo isso é confiável? Assim, vale você olhar para o seu site e conteúdo e fazer as seguintes perguntas:

Especialização

  • Esse autor especialista cita informações? 
  • O site geralmente é uma fonte que fala sobre esse tópico com frequência? 
  • O autor do site está publicado escrevendo sobre outros tópicos como este em outras partes da web? 
  • O rastreador do Google pode ver as outras postagens que um autor escreveu.

Autoridade

  • De onde vêm essas informações? 
  • O site fala constantemente sobre o mesmo tópico? 
  • Se não for esse o caso, o site está citando como fonte das informações/
  • Tem links que o Googlebot pode seguir?

Confiabilidade

  • Qual é o registro do site? 
  • Está na internet há muito tempo? 
  • É de uma empresa ou pessoa real?
  • A quais tipos de sites ele envia links? 
  • OBS.: tempo em si não é um fator. Se você é um site novo e não possui outros sites com links para você, sua classificação é inferior à de um site mais estabelecido que já existe há mais tempo.

O que são sites YMYL

A sigla YMYL significa “Your Money, Your Life“. São uma “categoria especial” de sites aos olhos do Google.

Os tipos mais comuns de sites que se enquadram nessas categorias são médicos, investimentos, finanças pessoais e de divulgação de um estilo de vida saudável. YMYL realmente se tornou popular quando o Google atualizou suas diretrizes antes de uma grande grande atualização chamada de medic update, em 2018.

Dicas para otimizar seu site

Se você tem perdido posições na SERP ou não está subindo como gostaria, eu separei aqui uma série de recomendações para revisar seu site e conteúdo.

Informações de autores REAIS

Uma recomendação comum para melhorar o EAT é garantir que todos artigos do site sejam atribuídos a autores que tenham biografias ou currículos acessíveis em uma página dedicada da biografia do autor. Embora seja uma ótima recomendação para melhorar a transparência sobre quem são seus autores, não é um fator de classificação direto.

Fato é que o o conteúdo do seu site – especialmente o conteúdo YMYL – seja escrito com a ajuda de especialistas reais, que possam sr conferidos pelos usuários.

Muitos dos sites bem sucedidos utilizam revisores especializados, como médicos, nutricionistas para auditar o conteúdo e garantir que ele seja preciso, confiável e aceito pela comunidade. Embora o uso de revisores especializados também não seja um fator de classificação confirmado pelo Google, ele aprimora seu conteúdo, tornando-o inerentemente mais preciso e, portanto, confiável.

Excesso de anúncios

Já é conhecido que muitos anúncios, especialmente os que comprometem o design do site, a navegação e a experiência do usuário (UX), é um fator de penalização.

Verifique se seus anúncios não estão dificultando a localização do conteúdo principal real na página e preste atenção às proporções de anúncios versus conteúdo acima da dobra na área de trabalho, bem como em experiências para celular.

Implementar sinais de confiança

Quando alguém nos recomenda um médico ou tratamento de saúde, provavelmente perguntamos se podemos confiar nessa recomendação. Se descobrirmos que esse médico é dono de diversos diplomas e premiações na sua área, isso nos passa grande confiança.

Da mesma forma, o seu site deve exibir sinais de que ele é confiável, embasado, sério e representa uma empresa ou autor real.

Se você tem premiações, certificados, reconhecimentos, entrevistas para veículos de informações conhecidos, etc, trate de exibir isso em seu site onde for importante.

Seja transparente sobre a linha editorial e anúncios

Sites transparentes com seus usuários, que mostram uma finalidade clara na sua linha editorial e são claros sobre seus anúncios e conteúdo pago (publieditoriais) tendem a se sair melhor na pesquisa orgânica. 

Informar aos usuários exatamente como seu conteúdo é editado, quem escreve para o site, que tipos de anúncios serão exibidos e como esses anúncios são selecionados, são boas práticas para que os usuários sintam que pode confiar no seu conteúdo.

Melhorar a qualidade do conteúdo

Não é por acaso que a maioria dos vencedores das atualizações de algoritmos do Google mantém o mais alto nível de qualidade de conteúdo, principalmente para o conteúdo YMYL.

O conteúdo deve ser completamente pesquisado, imparcial, bem editado e deve conter citações de publicações confiáveis. Além disso, verifique se esses links externos são seguidos para fins de SEO (links follow), pois ajuda o Google a estabelecer conexões entre seu conteúdo e os sites dos quais você obtém suas informações.

Conteúdo preciso e com consenso científico

Este ainda é um tema que gera muita discussão, mas há sinais de que sites YMYL que tiveram quedas depois de atualizações do Google não exibiam informações com consenso científico.

A inclusão de conteúdo em suas páginas YMYL que contradiz diretamente o consenso científico, médico ou histórico coloca você em território perigoso com o Google. Nas Diretrizes de qualidade de pesquisa, o Google menciona a palavra “consenso” 20 vezes e sugere que o conteúdo que contradiz o consenso deve ser classificado como falho em atender as expectativas dos usuários. Podemos dizer que é a classificação de qualidade mais baixa possível.

Existem diversos casos de sites ligados a medicina que perderam posicionamento para muitas palavras-chave importantes recentemente. Diversas análises mostram que nestes sites não trabalhavam com temas ligados a consensos científicos.

Muita linguagem comercial

Todo mundo capta quando começa aquele “papo de vendedor”, cujo objetivo não é nos informar, mas sim nos vender a todo custo. E parece que o Google também observa isso.

Tenha em mente o papel de cada conteúdo em base a intenção do seu usuário ao longo da sua jornada de descoberta até a venda. É o princípio do funil de vendas. Um conteúdo que “parece” informativo mas tem o objetivo de “vender”, é um conteúdo de baixa qualidade.

O Google é um desentermediador.

É importante evitar a mistura de linguagem informativa e transacional nas páginas YMYL destinadas a fornecer conselhos ou informações. Por exemplo, uma página sobre “Saiba tudo sobre a dieta low carb” tem um caráter informativo. Nesta página não é interessante dedicar muito tempo a estimular a compra de livros sobre low carb com links patrocinados e de lojas virtuais.

Essa mistura de conteúdo informativo com uma frase de chamariz pode fazer com que o usuário desconfie das outras informações fornecidas na página. A Path Interactive fez uma pesquisa sobre o EAT e encontrou fortes correlações entre sites que perderam posicionamento no Google: sites rebaixados têm 433% mais chances de ter muitas chamadas de ação comercial do que os sites que subiram no Google, especialmente ligados a tema de saúde.

Confira o SEO Técnico

A abordagem do EAT, a qualidade do conteúdo e a experiência do usuário são cruciais para a recuperação após a queda no desempenho relacionado ao algoritmo, mas o SEO técnico não pode ser ignorado. Se o Google tiver problemas para rastrear, indexar e / ou renderizar seu conteúdo, todos os seus outros esforços poderão ser inúteis.

Algumas oportunidades para melhorar seu SEO técnico após uma atualização principal:

  • Verifique o relatório de cobertura no Google Search Console para verificar problemas de indexação e indexação
  • Certifique-se de que seu site não tenha problemas com a velocidade sistêmica da página que pode reduzir sua usabilidade geral
  • Verifique se não há erros de AMP, que também podem ser monitorados no Google Search Console
  • Verifique se a configuração da paginação não está inerentemente quebrada
  • Sempre verifique suas mensagens do Google Search Console para garantir que seu site não tenha uma ação manual

Avalie o conteúdo de baixa qualidade

Em um recente Hangout para webmasters, foi perguntado a John Mueller se ter uma seção de conteúdo de baixa qualidade pode reduzir a qualidade geral do domínio, ao qual John respondeu que sim.

Se houver uma seção de seu site de baixa qualidade por natureza, como conteúdo fino, duplicado ou gerado automaticamente, considere remover ou não indexar essa seção do site.

Verifique se há uma intenção local na SERP

Um bom passo para recuperar as atualizações principais é examinar os resultados da pesquisa da sua consulta e garantir que as palavras-chave que você pensava anteriormente serem “genéricas” não estejam sendo classificadas como “locais” intencionalmente. 

Por exemplo, se você faz avaliações de “suplementos alimentares” e a busca mostrada mostra várias indicações de empresas locais que vendem suplementos, isso indica que essa é uma busca mais local. Se você não é uma empresa local, não precisa de SEO Local, mas sim rever a sua estratégia de conteúdo.

Se você vir um pacote de mapas, nomes de cidades e classificação de páginas localizadas, é uma forte indicação de que você também precisará de uma estratégia para executar essa consulta.

Por Gustavo Rodrigues da Silva

É especialista em SEO e Ads. Trabalha a mais de 10 anos com comunicação, design e marketing. Oferece consultoria à diversas empresas e instituições com o objetivo de melhorar seus sites, presença online, entendendo a intenção e comportamento de buscas na internet e como criar os melhores conteúdos e resultados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *